full screen background image

Analista de Gamification – Uma Descrição do Cargo

Analista de Gamification – Uma Descrição do Cargo

 

“O que é preciso para trabalhar com gamification?”, “O que tenho que estudar para gamificar algo?”, “Quais as competências de um analista de gamification?”. Com o crescimento do interesse pela Gamification perguntas como essas circulam no meio de estudantes e profissionais de games e também de marketing digital. Recentemente também foram foco do meu trabalho, pois a mim foi solicitado a abertura de uma vaga de estágio em gamification. “Alessandro, qual a descrição mais apropriada para utilizarmos no processo seletivo deste cargo?”, foi a pergunta do pessoal dos Recursos Humanos. No post de hoje pretendo expor minha resposta, acrescida de comentários.

Principais Atividades

O que um novato em gamification deve desempenhar em uma equipe de marketing digital? Procurei levantar uma lista de itens para responder a isso. Mas sem que parecesse uma dessas Vagas Arrombadas. Enfim, singela, ficou com apenas 4 itens simples (mas não triviais):

– Auxiliar na concepção de programas gamificados de incentivo para contextos corporativos e educacionais;

– Orientar desenvolvedores e designers de interface a respeito dos algoritmos resultantes;

– Documentar especificações técnicas de sistemas;

– Criar apresentações de negócio.

Grosso modo, o estagiário deve entender que fazer gamification não é fazer jogos. É lidar com temas corporativos e/ou educacionais para fins de marketing digital. Uma vez que ele entenda esses fins, deve conceber programas de incentivo à luz dos princípios da gamification. Em seguida, documentar fartamente o que foi concebido; orientar equipes de desenvolvedores e designers gráficos para implementar o plano. Fazer apresentações com Powerpoint para explicar o programa para clientes internos e externos, também é desejado.


Perfil

Que conhecimentos esse estagiário ou essa estagiária precisa ter para tornar possível as atividades anteriormente enunciadas?

  • Game Design aplicado: como fazer uso de táticas de entretenimento digital (pontos, medalhas, rankings, barras de progressão, etc) em produtos e serviços voltados para áreas não ligadas a entretenimento. Referências: modelo Octalysis (Yu-Kai Chow), o curso de Kevin Werbach, Gabe Zichermann);

  • Psicologia da Motivação: Self Determination Theory, Economia Comportamental, “Blink” (Malcolm Gladwell), “Tecnologias Persuasivas” (B. J. Fogg);

  • Marketing Digital: Réguas de Comunicação, 4 Ps do Marketing, etc.

Não deve haver nenhuma surpresa aqui. Talvez apenas minha exigência de entender sobre Marketing Digital. E isso se deve ao fato de que gamification é sobre persuadir, conquistar clientes (seja para uma empresa ou para um curso).

As inclusões de Game Design e de Psicologia da Motivação não surpreendem quem já sabe que Gamification é aplicar técnicas de game design para motivar pessoas a determinados comportamentos.

Ok. Então falemos das habilidades interessantes para esse estágio:

 Habilidades  Comentários
  • Escrever conceitos com clareza, riqueza de detalhes e precisão no formato de texto com notações visuais, tabelas, etc;
 Sim, escrever bem. Escrever muito. Documentar com redação técnica impecável.  E coletar dados falando com pessoas e depois explicar os documentos escritos para outras pessoas. Comunicação verbal é essencial. Saber fazer diagramas e ilustrações ajuda.
  • Realizar pesquisas com usuários.
Análise estatística é muito bem vinda.

 

E em termos de atitudes, hein?

Na minha opinião são três:

  • Disposição para estudar, aprender e inventar continuamente novos processos e instrumentos em gamification;

  • Capacidade empática (para compreender os problemas dos clientes e colegas e saber tratá-los);

  • Preocupação ética com a forma de como as intervenções afetam os usuários finais.

 

Por fim, como formações possíveis, sugiro:

  • Entretenimento Digital, Jogos e afins;

  • Sistemas de Informação;

  • Engenharias;

  • Psicologia (Sim, Psicologia. Sabiam que tenho Bacharel nisso?).

 

Só gostaria de pontuar uma ressalva. Se você trabalha como desenvolvedor e sonha criar jogos, não venha trabalhar com gamification. É outro ambiente bem distinto da indústria de games. Outros objetivos, outros métodos. Você irá se frustrar. Só venha trabalhar com gamification, (além da grana , claro!), se você tem paixão por criar sistemas para melhorar a performance humana. Seja nos estudos, seja no trabalho ou seja para propaganda e marketing.

Conclusão

A vaga de estágio te interessou? Te deixou com a pulga atrás da orelha em algum ponto? Acha que ela entraria na página Vagas Arrombadas? Pois é, não é fácil criar uma descrição de cargo para  um trabalho desses tão novo e sempre mutante que as mídias digitais criaram, e que certamente em poucos anos já será bem diferente do que é hoje!


Tags:

Alessandro Vieira dos Reis

Alessandro Vieira dos Reis (Redator) – É bacharel em Psicologia e mestre em Design de Interação. Atua como analista de gamification e game designer no DOT digital group em Florianópolis.


Show Buttons
Hide Buttons