full screen background image

História dos Games: Como o Streaming está Criando Novas Comunidades Online

História dos Games: Como o Streaming está Criando Novas Comunidades Online

A distribuição de um jogo era bem complicada no passado. Jogar então com outras pessoas era uma tarefa difícil. Limitava-se a reunir os amigos em casa e aqueles jogos que estavam ali disponíveis. Saber sobre eles também era um desafio grande.

Hoje, o cenário proporciona uma oferta interessante, além do streaming está contribuindo com comunidades online gigantes. Você pode acompanhar e-sports pela internet, gameplays de qualquer lugar do mundo e a variedade de serviços é vasta.

Vamos explorar um pouco do tema e sua contribuição na história dos games.

Como o Streaming está Criando Novas Comunidades Online

Na última década, foram criados inúmeros serviços que pretendiam utilizar o poder da internet para permitir a realização de transmissões ao vivo dos mais variados tipos de atividades. Apesar da empolgação inicial, poucas empresas do ramo sobreviveram e eventualmente o Twitch tornou-se o principal player deste mercado.

Criado em 2011, para transmitir partidas de diversos tipos de jogos online, o Twitch cresceu vertiginosamente. Em 2014, ele foi adquirido pela Amazon, gigante americana do varejo. Com o apoio financeiro nos últimos três anos, a empresa de streaming conseguiu a proeza de alcançar 250 mil usuários ativos por mês. A você que ainda não conhece a plataforma, abaixo alguns detalhes.

Um serviço diferente dos outros

Anos atrás, jogar videogame era uma experiência majoritariamente solitária, com a exceção das situações nas quais amigos ou conhecidos se reuniam para assistir alguém  ou combinavam partidas multiplayers.

Em essência, o que o Twitch conseguiu fazer foi capturar esta experiência comunitária e transferi-la para uma escala global. Nessa nova ordem de magnitude, todos os tipos de pessoas podem encontrar uma comunidade da qual possam participar.

Existem algumas formas diferentes de interagir com os streamers após criar uma conta no Twitch. As mais simples consistem em simplesmente seguir o canal, na qual o usuário é avisado por e-mail quando o streamer começa uma transmissão. Além disso, há o chat público, no qual é possível enviar mensagens para que todos vejam. 

Entretanto, as principais formas de interação com o streamer – que são as responsáveis pelo maior diferencial da plataforma – são a assinatura paga. Ela muitas vezes permite acesso a um chat exclusivo para assinantes e emotis (uma espécie de emoji personalizado), e as autoexplicativas doações de “gorjetas” durante as transmissões.

Uma análise da StreamLabs revelou que os usuários com mais de dois anos doavam em média um total de 80 dólares por ano, enquanto novas contas doavam por volta de 23. É possível observar um aumento regular no valor e número de doações de acordo com o período de tempo. Isso pode indicar que as pessoas realmente doam mais de acordo com o crescimento do seu envolvimento nas comunidades.

Diversas comunidades de jogadores

De acordo com o ranking da Social Blade, que agrega os top 100 streamers do Twitch, é possível identificar alguns tipos de comunidades atreladas à plataforma. Duas das que facilmente chamam mais atenção são as de streamers de jogos variados, jogadores profissionais de e-sports e competidores de poker.

Os streamers de jogos são divididos em diversos tipos, com o principal sendo uma espécie de show na qual o jogador comenta o que está acontecendo na tela. Dois dos seus maiores expoentes são o “Syndcate“, famoso por jogos como Call of Duty, e BennyFits, que joga um pouco de tudo, com uma predileção por jogos da Blizzard.

Em uma espécie de crescimento retroalimentado, o aumento das transmissões pelo Twitch é um dos principais fatores que ajudam a explicar o crescimento dos e-sports, e vice-versa. A plataforma ajudou na abertura deste tipo de competição para um público mais amplo e em retorno cada vez mais pessoas passaram a dar uma chance para os e-sports.

Existem diversos competidores e equipes famosas que realizam seus streams na plataforma, mas é impossível não mencionar a Evil Geniuses de Dota 2, que possui uma das comunidades mais bem conhecidas e unidas de toda a plataforma. Dela, é preciso destacar especialmente o membro Saahil “UNiVeRsE” Arora, atualmente o jogador mais bem pago dos e-sports, e Peter “ppd” Dager, que acabou de retornar ao mundo das competições após atuar como CEO e membro administrativo da equipe durante alguns anos.

Em relação ao poker, alguns dos principais streamers são Jason Somerville, que transmite no canal “jcarverpoker“, e Alex “RaSzi” Veldhuis, do canal praticamente homônimo “lexvelduis”. Ambos tiveram carreiras produtivas no esporte e Somerville chegou até mesmo a vencer um bracelete do WSOP, o campeonato mundial da modalidade. Jason começou a transmitir no Twitch em 2013 e desenvolveu sua comunidade até se tornar o líder de uma equipe com diversos atletas, conhecida como Run It Up. O sucesso da empreitada foi tamanho que hoje em dia ele deixou de competir como profissional na modalidade para se dedicar integralmente as transmissões.

Apesar de não ter seguido o mesmo caminho e continuar competindo, Veldhu também admitiu recentemente que alterou sua rotina de transmissão para que elas acontecessem principalmente durante as horas normais de trabalho.

A movimentação de ambos, com atenção especial para Somerville, é crucial para demonstrar o crescimento da importância dos streaming como um agregador de novas comunidades e serve como indicação do potencial da plataforma.

Todos os streamers acima contam com os principais diferenciais do Twitch, desde a assinatura do canal que garante acesso a um chat exclusivo, passando pela coleção exclusiva de emotes para o chat e até mesmo um “obrigado” ou algo similar para novos inscritos durante uma partida. Para aumentar o senso de comunidade, alguns ainda oferecem uma loja de roupas com camisetas e outros tipos de “swag”.

O que o futuro reserva para as transmissões online

O YouTube vem ganhando força com novas capacidades voltadas para transmissões ao vivo e alguns streamers tem até mesmo trocado de plataforma. Apesar disto, a maioria dos fãs continua no Twitch e o advento do novo serviço “IRL” da empresa proporcionará uma experiência diferente, mais similar a de vlogs, que pode atrair ainda mais usuários e novos tipos de streamers.

Em relação ao mercado como um todo, um projeto de pesquisa da SuperData Research estima que mais de 213 milhões de pessoas assistirão partidas de esportes online e prevê que o número chegará a 303 milhões no final de 2019. Além disto, dados divulgados pela Forbes, apontam que entre o valor da indústria como um todo, que hoje soma 1,8 bilhões de dólares, chegará a 3,5 bilhões em 2021.

Isto aponta que no futuro do streaming podemos esperar um crescimento progressivo do número de espectadores voltados para jogos e contar com o surgimento de ainda mais comunidades relacionadas a outros temas.


Tags:

Fabiano Naspolini de Oliveira

Fabiano Naspolini de Oliveira (Editor-Chefe) – Formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (Udesc), Pós-Graduado em Docência para Educação Profissional (Senac), MBA em Game Design (Universidade Positivo) e Mestrado em Tecnologias da Informação e Comunicação (UFSC). Foi redator do portal Nintendo Blast, professor do Senac/Senai e Game Designer/Sócio-Fundador do estúdio Céu Games por 6 anos. Atualmente, é professor do Curso de Tecnologia em Jogos Digitais (UNESC) e escritor.


Show Buttons
Hide Buttons