full screen background image

História dos games: Uma Breve História dos Jogos para Mobile

História dos games: Uma Breve História dos Jogos para Mobile

Durante as últimas três décadas, pudemos observar e participar da criação e evolução dos jogos mobile. A história de todos os gêneros é extensa demais para apenas um artigo ou gráfico, então vamos focar apenas em alguns dos mais famosos e bem-sucedidos para os jogos de celular.

O Primeiro Clássico

O primeiro jogo clássico criado foi o Snake, conhecido no Brasil como “jogo da cobrinha”. O game, criado originalmente em 1970, realmente atingiu o sucesso quando teve uma versão desenvolvida em 1997 para o Nokia 6610, precursor do aparentemente indestrutível e recentemente relançado para o Nokia 3310.

Durante toda a década de 2000, independentemente da marca e modelo do celular, era muito provável que houvesse uma cópia de Snake automaticamente instalada nele. A técnica obviamente deu certo, e ao longo dos anos, o jogo se fez presente em mais de 350 milhões de celulares.

Apesar da popularidade e do jogo ainda estar presente em diversos aparelhos, apenas um jogador conseguiu terminá-lo em 2013 e ainda assim sem comprovação indubitável do feito.

Apesar da primeira versão realmente popular ter sido lançada para o GameBoy em 1989, é impossível não mencionar o clássico jogo Tetris, que, assim como o Snake, hoje está presente em praticamente todo e qualquer dispositivo mobile, de celulares a calculadoras.

 Mais tecnologia dá origem a mais jogos

A evolução da tecnologia dos telefones móveis, especialmente a Java e a BREW, permitiu a conversão de jogos mais sofisticados e em 2002 outros jogos clássicos como Space Invaders passaram a aparecer no celular.

Já em 2003, telefones com tela colorida se tornam realmente populares e puzzles como Bejeweled, precursor do famoso Candy Crush e outros títulos exclusivamente dependentes da diferença de cores, surgem para um grande sucesso de público.

Em 2004, começam a aparecer jogos de corrida, como The Fast and The Furious, baseado no filme Velozes e Furiosos, que ainda não havia se tornado a grande franquia semianual de sucesso que é hoje em dia.

No ano de 2005, é lançado o primeiro app de poker para celulares, conhecido como Pokerrroom, que contava com funções básicas e uma certa lentidão na transposição da experiência de jogo. Apesar disto, o desenvolvimento deste tipo de aplicativo representou a chegada de outro forte mercado consumidor – além do baseado em adaptações de filmes – para o mundo mobile.

Entretanto, nos últimos anos, os jogos mobile de poker continuaram evoluindo progressivamente e hoje em dia apps como o popular 888mobile, disponível tanto para Android quanto para iPhone, tornaram a experiência praticamente indistinguivel da que um competidor pode obter no desktop.

Novas maneiras de acessar e pagar por conteúdo e ainda mais tecnologia

Em 2008, a Apple lança sua App Store, atingindo rapidamente a marca de 10 milhões de downloads realizados por usuários e revolucionando completamente a forma como jogos são acessados e comprados pelos consumidores.

O ano de 2009 traz a popularização de celulares com touchscreen, especialmente o Galaxy e o iPhone, e cada vez mais títulos que exploram essa mecânica de toque, como o simples jogo de pulos Doodle Jump, dão as caras.

Entretanto, o grande uso da função touch vem através de Angry Birds. Munido de um estilingue e uma física de jogo super divertida, o jogo rapidamente se torna um sucesso global que eventualmente atinge mais de 15 bilhões de downloads.

O sucesso é tamanho que durante os anos a marca dá origem a diversos títulos alternativos licenciados, como Angry Birds: Star Wars, e até mesmo a um filme em Hollywood, que já conta com uma sequência.

Em 2012, finalmente é lançado o supramencionado Candy Crush, que quebra inúmeros recordes de download e de usuários ativos diariamente, alcançando a incrível marca de 700 milhões de usuários ativos por dia.

O app, juntamente com Clash of Clans e The Simpsons: Tapped Out, é notório pela consolidação do modelo freemium, no qual o usuário paga apenas pelo conteúdo extra dentro do jogo. Este modelo de negócios é tão bem-sucedido que se tornou a principal forma de renda de diversos jogos atuais como Clash Royale e até mesmo fez a transição inversa de mobile para desktop.

Imagem apenas representativa do jogo.

O começo da era da realidade aumentada e de serviços de localização

Também em 2012 a empresa Niantic lança o app Ingress, primeiro a unir elementos de realidade aumentada e localização dos jogadores no seu modo de jogo. O jogo se torna razoavelmente popular e até hoje conta com uma base de usuários leal.

Entretanto, a tecnologia só se torna realmente conhecida do grande público em 2016, ano em que a mesma companhia une a tecnologia com o tema Pokémon para lançar o fenômeno mundial Pokémon Go.

Atualmente, não é possível prever exatamente qual será o futuro dos jogos mobile e quando surgirá o próximo grande hit do mercado, mas a indústria como um todo há tempos já ultrapassou a marca de 10 bilhões de dólares e o barateamento de tecnologias de realidade virtual dá uma pista do que pode vir por aí.



Fabiano Naspolini de Oliveira

Fabiano Naspolini de Oliveira (Editor-Chefe) – Formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (Udesc), Pós-Graduado em Docência para Educação Profissional (Senac), MBA em Game Design (Universidade Positivo) e Mestrado em Tecnologias da Informação e Comunicação (UFSC). Foi redator do portal Nintendo Blast, professor do Senac/Senai e Game Designer/Sócio-Fundador do estúdio Céu Games por 6 anos. Atualmente, é professor do Curso de Tecnologia em Jogos Digitais (UNESC) e escritor.


Show Buttons
Hide Buttons