Análise: He-Man: The Most Powerful Game in the Universe

He-man: The most Powerful Game in The UniverseHe-man: The Most Powerful Game in The Universe é um jogo para iOS e Android, nessa plataforma com nome mais curto, desenvolvido pela GlitchSoft e publicado pela Chillingo. Com a primeira versão lançada em outubro de 2012, He-man precisa deter Skeletor, pois ele criou um aplicativo assassino para  iPad, mas é tudo uma armadilha para o nosso herói.

Com bastante humor e gráficos que remetem a isso, vamos conhecer um pouco do jogo do homem mais poderoso do universo.

 

Nós temos a força!

He-Man She-Ra

Fases do Jogo - He-man: The Most Powerful Game in The Universe

No jogo você pode escolher a jornada com dois personagens: He-man ou sua irmã gêmea She-ra. Cada um possui habilidades diferenciadas, o que torna alguns desafios mais fáceis para um personagem e difíceis para outro. Mas esse é o único diferencial, visto que as fases são todas iguais, independente do herói escolhido. Isso poderia ter sido mais pensado. Assim, a jornada de He-man teria os personagens do seu desenho e, a Princesa Guerreira aqueles respectivos ao desenho dela. Afinal, senti falta de alguns coadjuvantes da She-ra na jornada dela como Esperança da Luz, Corujito e outros. O foco ficou muito no He-man. Porém entendo que isso é para lançar o jogo logo e reaproveitar fases já prontas. Depois se lança atualizações para isso, ação típica dessas plataformas. Sem citar que Teela e Gato Guerreiro ficaram de lado. Então…

He-man Fases

Por citar as fases, elas possuem várias, divididas por regiões que cada vilão governa. Assim, os níveis de cada um deles refletem bem o perfil do malvado a ser enfrentado. Por exemplo, em Crystal Sea a fase aquática remete ao vilão Mer-Man, chefão desse local.

Aliás, o design das fases, estrutura e chefões ficaram demais. Muito bem elaborados e sempre prometem alguns desafios novos. Eu particularmente gosto de enfrentar os gigantes, das perseguições por monstros enormes e, claro, dos chefões.

She-Ra durante as fasesOs controles do jogo no início são simples como direita, esquerda, pulo e ataque. Após algumas compras de novos golpes na loja, os personagens vão ganhando novos movimentos. Aqui tenho duas críticas: a compra dos golpes, para quem joga gratuitamente, é uma batalha e tanto para liberar tudo ao máximo. Tem que lutar muito para isso ou dar aquela acelerada com dinheiro real comprando itens virtuais. É a velha história de incentivar a compra no game. A outra situação é que o modo de interação escolhido pelo jogo é muito difícil de acostumar no início, tanto o tradicional dividindo a tela em movimentos (à esquerda) e ataque/pulo (à direta) quanto o clássico com botões de interação na tela. Eu só fui me acostumar depois da 15ª fase. Dá um estresse no início, mas, como o jogo é interessante, você vai até o fim.

Os gráficos foram bem escolhidos também, remetendo a um lado mais humorado nos personagens, mas mantendo alguns elementos nostálgicos a quem acompanhou o desenho da década de 80. Alguns sons também dão esse resgate como o “He-man” quando se passa um nível ou inicia-se o jogo. Essa parte de som e gráficos está impecável no game.

 

Vamos impedir as terríveis forças de Skeletor

Beast Man - He-man Trap Jaw - He-man

Enfrentar chefões, para mim, é a parte preferida de todo o jogo de plataforma nesse estilo. Cada um deles tem uma forma de ataque e também muito humor. Você enfrentará Skeletor (só não coloquei para não dar mais spoiler), Beast Man, Trap Jaw, Mer-Man and Hordak, este ultimo o vilão principal da história da She-ra.

Orko - He-manOs ataques são bem diferenciados. Enquanto Hordak vira máquinas para te atacar, Beast Man começa no início te perseguindo e depois te encurrala para uma batalha mano a mano. Assim segue com os outros. Esse cuidado ficou muito bom no game. O que mais gosto é o chefão Trap Jaw e suas investidas à bola de demolição.

Nessas lutas todas, os heróis também podem contar com algumas ajudas. A primeira é com Orko, o feiticeiro atrapalhado do He-man. Quando você morre, ele faz um feitiço para te dar algum benefício: dinheiro, voltar à vida ou ganhar um power up forte para voltar à vida também. É uma segunda chance e ficou legal o sorteio desse benefício extra. Apesar de que, quando fosse a She-ra, poderia ter a ajuda da Madame Rizzo, mas enfim…

Também tem os especiais: He-man e She-ra têm o poder de invencibilidade que pode ser comprado na loja. Também podem comprar outro poder que traz um assistente para ajudar nas batalhas. Nosso herói conta com Mentor; e She-ra com Ventania, seu cavalo alado. Nessa história, senti falta do Gato Guerreiro. Afinal podia ser ele, mas tudo bem.

Mentor - He-man Espírito - She-ra

 

Extras além de defender o Castelo de Grayskull

Estrelas - He-man Lore - He-man

O jogo também tem várias missões extras a serem feitas. Uma delas é nas fases: você recebe estrelas pelo seu desempenho. Três estrelas são o limite máximo. O interessante é que os elogios mudam para cada categoria de estrela conforme o herói. Se é o He-man, são elogios mais fortes. Com a She-ra, mais delicados. Incentiva a jogadores mais viciados a fecharem tudo com três estrelas.

Lore - He-manEm Lore, você pode conferir diversos itens extras que você colhe pelas fases como quadrinhos do He-man antigos, artes conceituais, imagens antigas, cards de personagens e outros. Isso aumenta o replay do jogo também. Muito legal para jogadores mais hardcores.

Também pode passar na Store (loja) e falar com a Feiticeira para comprar novos itens. Tanto os golpes novos quanto poderes e assistentes como mencionado. Mas chamo a atenção aqui também para a compra de outros poderes como quebrar pedras mais resistentes nas fases. Isso ajuda a conseguir pegar mais itens para a sua coleção em Lore.

She-ra - Store Feiticeira - Store

Pontos Fortes

  • Gráficos e áudios bem trabalhados e nostálgicos;
  • Estrutura de fases e chefões bem trabalhados e diversificados;
  • Extras para se fazer bem instigantes;
  • Especiais muito legais e bem feitos;
  • Possibilidade de jogar com dois heróis.

Oportunidades de Melhoria

  • Controles muito confusos para início do game;
  • He-man e She-ra precisam de diferenças em suas jornadas;
  • Alguns personagens importantes ficaram de fora do jogo como Gato Guerreiro, Teela, Esperança da Luz, Corujito, Madame Rizzo etc;
  • Compras de golpes, para deixar no poder máximo, demoram demais se o jogador não quiser comprar com dinheiro real.

He-man: The Most Powerful Game in The Universe, mesmo com as oportunidades de melhoria, é um jogo muito bom. Como jogador mais hardcore, gostei muito e saiu um pouco da fórmula puzzle, jogos sem fim típicos de jogos para as plataformas iOS e Android. O final é bem bacana, o jogo é divertido e você vai gostar. Recomendo, principalmente, para quem via os desenhos na infância.

Fabiano Naspolini de Oliveira

Fabiano Naspolini de Oliveira

Fabiano Naspolini de Oliveira (Editor-Chefe) – Formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Pós-Graduado em Docência para Educação Profissional, MBA em Game Design e Mestrado em Tecnologias da Informação e Comunicação. Foi redator do portal Nintendo Blast, professor de cursos técnicos e Game Designer/Sócio-Fundador do estúdio Céu Games por 6 anos. Atualmente, é professor de jogos digitais e escritor.

Send this to a friend