Artigo: Jogos Sérios: divertindo o que é sério no mundo real

Pulse - Jogo Sério - Serious Game para SaúdeFaça o Curso Uso e Desenvolvimento de Jogos Educativos do Fábrica de Jogos

Jogo como entretenimento é uma abordagem que desenvolveu a indústria do entretenimento digital interativo.

Mas e quando utilizamos um game com a finalidade de facilitar um aprendizado, uma rotina de trabalho ou até mesmo para um propósito mais… sério?

Vamos conhecer hoje os jogos sérios. Dentro dessa categoria de jogos, apresentaremos alguns exemplos e práticas adotadas neles.

O que são jogos sérios (Serious Games)?

Vai utilizar o game como ferramenta para divertir mais no aprendizado tradicional, treinamento de rotinas/processos ou divulgação de marcas/produtos/serviços?

A esse tipo de game chamamos de jogos sérios (Serious Games). Esse foi o termo que a indústria de games cunhou, sendo vigente até hoje, apesar de não concordar muito com essa nomenclatura. Afinal de contas: os outros não são sérios? Será que de acordo com a abordagem que é utilizada um jogo de entretenimento puro, não pode ser usado de maneira séria? Os jogos sérios são chatos e sem diversão? São estas as perguntas que me faço quando penso nesse nome dado.

Que tipos de games são jogos sérios?

Os jogos didáticos e de publicidade certamente estão dentro dessa categoria. Já falamos em artigos aqui no Fábrica sobre eles. Convido vocês a visitá-los e fazer a leitura.

Desafio Sebrae - Business GamesBusiness games ou jogos para negócios, também fazem parte dessa classificação. Simular ambientes de empresas é tratar de um jogo sério. O Sebrae usa essa estratégia há anos com o Desafio Sebrae, competição entre empreendedores em que você utiliza um simulador de empresa para tentar gerir o negócio proposto. Quem consegue gerenciar melhor, vai ganhando colocações até ganhar prêmios bem interessantes. Você passa por todos os processos da empresa e aprende as relações das partes com o todo, quer seja internamente entre departamentos ou externamente com fornecedores, clientes, concorrência, ameaças e oportunidades.

Uma outra abordagem não comentada neles são games utilizados para treinamento de rotinas e processos. Como tratam de repetições, automatizações a serem realizadas em um ser humano, não o considero tão educativo, pois é simplesmente replicar o que está sendo passado, memorizar e automatizar. Um exemplo é utilizar um game para ensinar a operar um equipamento.

Se fosse escolher uma área de muito uso, certamente a área da saúde é uma das que mais apresentam trabalhos voltados para jogos sérios. Existem abordagens de uso para tratamento de doenças como Alzheimer ou reabilitação para AVC, paralisias e muitas outras práticas. Também é utilizado para procedimentos médicos ou ensinar práticas de primeiros socorros.

Exemplos de jogos sérios

Trouxe aqui alguns exemplos bem interessantes de aplicações de jogos sérios.

America’s Army é um jogo utilizado para treinamento de soldados nos Estados Unidos. O ambiente é bem realista e demonstra as principais situações que eles sofrerão no meio de um conflito ou guerra.

Pulse é um jogo aplicado para a saúde para simular cirurgias médicas. Você irá manipular os equipamentos médicos, realizar procedimentos no paciente, e ter a sensação que o game passa que é muito real mesmo.

Amazing Food Detective é outro jogo utilizado para ensinar as crianças a se alimentarem bem. Ao investigar os mistérios como um detetive, você aprende como comer da melhor forma e de maneira saudável, além das práticas de exercícios e a ajuda para sua saúde.

Conheça mais trabalhos em nossas referências nesse artigo.

Os jogos sérios são mais uma abordagem dentro dos jogos digitais. Não apresentei aqui muitos princípios para desenvolvimento desses games nem processos, pois são muito parecidos com os jogos educativos na ideia de ensinar um conteúdo. Suas fases de processos também seguem a de um jogo tradicional, porém com uma análise de requisitos mais elaborada para entender o objetivo com aquele game: treinar, instruir ou divulgar? Qual o conteúdo central? São perguntas que são respondidas nesse processo para depois desenvolver o game desejado.

Para quem quiser aprofundar mais nesse aspecto, recomendo esse artigo: Metodologia de Design de Jogos Sérios para Treinamento: Ciclo de vida de criação, desenvolvimento e produção.

Referências:




Fabiano Naspolini de Oliveira

Fabiano Naspolini de Oliveira

Fabiano Naspolini de Oliveira (Editor-Chefe) – Formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (Udesc), Pós-Graduado em Docência para Educação Profissional (Senac), MBA em Game Design (Universidade Positivo) e Mestrado em Tecnologias da Informação e Comunicação (UFSC). Foi redator do portal Nintendo Blast, professor do Senac/Senai e Game Designer/Sócio-Fundador do estúdio Céu Games por 6 anos. Atualmente, é professor de jogos digitais e escritor.

Send this to a friend