Artigo: Produção de Jogos Analógicos: Card Game Anjos e Dragões

Ao falarmos em mercado de jogos nacionais, instintivamente, imaginamos o mercado de jogos digitais, principalmente para PC e mobiles. Acabamos não nos dando conta que o Brasil também possui um mercado emergente nos Tabletop Games, os Jogos de Tabuleiro e demais Jogos Analógicos.

É nessa fatia de mercado que a Fiero Jogos chega com sua primeira investida, o Anjos & Dragões, um Card Game com cartas físicas.

Vamos apresentar um pouco desse jogo analógico que será lançado, mas também comentar sobre o processo de produção desse tipo de jogo. Inclusive o próprio desenvolvedor contará esse trabalho todo para vocês.

 

Dando as cartas – Card Game nacional está a caminho

Anjos & Dragões é um jogo de cartas expansível. Semelhante aos jogos de cartas colecionáveis (como Magic The Gathering, Pokémon Trading Card Game, Yu-Gi-Oh! e Hearthstone), mas sem compra aleatória. São 4 baralhos diferentes, cada um representando uma facção do jogo: Luz, Sombra, Fogo e Terra.

O criador do jogo, André Luiz Negrão, foi convidado por nosso blog a comentar quais são as diferenças na produção analógica quando comparada a digital.

Confiram o que ele nos enviou:

 

Game Design

O Game Design, bem como no digital, ainda é elaborando tendo o jogador como foco da experiência, possibilitando-lhe diversas escolhas interessantes. A diferença vem justamente na simplicidade de regras e balanceamento das opções de jogo.

Jogos analógicos precisam ter regras internas simples de ser executadas pelos próprios jogadores, visto que não existe uma Inteligência Artificial disponível para esse fim, como vemos nos jogos digitais de RPG e Estratégia, por exemplo.

Esses jogos, quase em sua totalidade, são para duas ou mais pessoas, logo é necessário que os elementos de jogo permitam a interação dos jogadores de forma justa, onde, tecnicamente, todos tem a mesma chance de vencer.

 

Design e arte

Se nos Jogos Digitais temos a interface de comandos, nos jogos analógicos essa interface é impressa diretamente nos elementos de jogo, como dados e cartas. É necessário um cuidado para que cada um desses elementos possuam informações claras e intuitivas. Lembre-se de que os jogadores devem coompreender as regras apenas lendo o manual do jogo e observando o material.

A arte acaba tendo um impacto grande na experiência, pois é o elemento que o jogador percebe primeiro. Um material de jogo bem ilustrado, com artes belas e chamativas é tão importante como um jogo com gráficos bem trabalhados. Em muitos casos, o jogador pode ser cativado a jogar pela arte das cartas ou tabuleiro.

 

Produção

Aqui com certeza está a grande diferença entre essas mídias. Dispense todos os programadores e os substitua por negociantes. Isso porque toda a produção de um jogo analógico deve ser planejada e negociada diretamente com a produção gráfica, ou seja, os lugarem que vão efetivamente imprimir os materiais de jogo.

A nível nacional, esse ainda é o grande ponto fraco do mercado brasileiro de jogos analógicos. As gráficas do país não possuem tecnologia e processos adequados para produzir esses materiais de forma eficiente e a custo baixo, principalmente em baixas tiragens. Encontrar onde produzir o jogo é a maior dificuldade atual nesse segmento.

É pouco provavel que consiga uma empresa que lhe entregue o jogo lacrado, já com todos os componentes. Isso significa que sua própria equipe deve conferir os impressos e colocar na caixa todo o material de jogo manualmente.

 

Distribuição

Distribuição digital direto pela Steam? Esquece…

Jogos analógicos, por motivos óbvios, não conseguem evitar o meio tradicional de distribuição, que consiste no envio físico do material direto para o consumidor, ou para os lojistas.

É preciso planejamento e organização para embalar e enviar tudo aos seus consumidores.

 

Divulgação

Em se tratando de divulgação online, os processos são semelhantes aos jogos digitais. A diferença fica na apresentação do jogo ao publico, seja por meio de vídeos, em que se deve gravar o andamento da partida enquanto as pessoas jogam , como pela apresentação do jogo em eventos de RPG e Boardgames. Não podemos esquecer que, para que os avaliadores possam conferir o material, é preciso enviar um protótipo físico, o que gera um custo a cada envio, ao contrário do formato digital onde o custo de liberação de acesso para testes é nulo.

 

 

Essa é uma visão geral e resumida do processo. Conhecemos um pouco como é a experiência de se fazer um jogo analógico.

Caso tenham dúvidas ou desejem saber mais sobre o processo, podem entrar em contato direto com o criador na página do Anjos & Dragões:

Fabiano Naspolini de Oliveira

Fabiano Naspolini de Oliveira

Fabiano Naspolini de Oliveira (Editor-Chefe) – Formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Pós-Graduado em Docência para Educação Profissional, MBA em Game Design e Mestrado em Tecnologias da Informação e Comunicação. Foi redator do portal Nintendo Blast, professor de cursos técnicos e Game Designer/Sócio-Fundador do estúdio Céu Games por 6 anos. Atualmente, é professor de jogos digitais e escritor.

Send this to a friend