Gamers: Capítulo 34: A Caminho da Federação Galática – Na nave dos Piratas Espaciais

Após saber um pouco sobre o braço direito de V.B. – ou ficar mais em dúvida – mais um general fará a sua observação no planeta Federação Galática: general DS da divisão 32B encontra-se a caminho.

Enquanto isso, nossos adolescentes escolhidos estão se aproximando do planeta, mas mal sabem eles o perigo que estão correndo.

 

Capítulo 34: A Caminho da Federação Galática – Na nave dos Piratas Espaciais

Durante a viagem, enquanto Mario assume o controle da nave com o co-piloto George, Tamires explica a todos as informações que acabara de receber na nave.

            – Recebi informações do planeta Start, amigos – pegava um relatório e lia com cuidado. – Ele fala sobre a situação atual do planeta Federação Galática.

            – Muitos inimigos para eu derrotar? – diz, empolgado, Sandro.

            – Tem comida lá? – pergunta Roberta.

            – Não, esperem – diz, ríspida, Tamires. – Será que nem em uma hora dessas vocês dois param? Mas enfim… – seus olhos se voltaram para o relatório. – Toadsworth avisa que a Federação Galática perdeu todos os seus caçadores de recompensas. Afinal, todos foram mortos pelos Piratas Espaciais, claro, com uma ajudinha especial de V.B.

            – Eu nem lembro mais o que é Federação Galática. Não era muito fã da série Metroid dos games – fala George.

            – Vamos iniciar então, já que sou a escolhida de Samus – fala, com orgulho, Tamires.

Mother Brain“Para garantir a paz no planeta, líderes de vários outros planetas menores, que fazem parte do planeta que estamos indo, formaram um principal intitulado Federação Galática. O objetivo deles era criar uma sociedade mais justa, bem estruturada e próspera, inclusive promoveram diversos avanços tecnológicos graças a isso. Mas nem tudo foi feliz. Os Piratas Espaciais queriam poder e começaram a causar medo pelo espaço, fazendo saques de naves e matando seres a sangue frio. Eles são liderados por Mother Brain, inteligência artificial cuja aliança fez com V.B. e é a principal estrategista nos planos dele. Nossa principal inimiga, diga-se de passagem. A Polícia Federal Galática tentava controlar essa ameaça, mas não estava sendo efetiva e suficiente. Nisso, surgem indivíduos com grandes habilidades que são contratados por esses líderes para impedir a expansão dos Piratas Espaciais: os caçadores de recompensa”.

            Samus Aran– É o momento que falamos da Samus Aran – complementa Mario. – Ela é uma excepcional caçadora de recompensas. Ganhou seu traje Power Suit pelos Chozos, pássaros ancestrais que vivem em sua maior parte no pequeno Planeta Zebes, também pertencente à Federação Galática.

            – Isso mesmo – diz Tamires. – Mas foi levada por V.B. para o seu esconderijo. O restante dos caçadores foi exterminado como Gandrayda, Sylux e Weavel.

            – Exatamente, Mario – concorda Tamires. – Aí chega o ponto de explicar sobre os metroids.

“Uma arma poderosa que poderia fazer a diferença entre os Piratas Espaciais e Federação Galática eram os Metroids. Eles vivem em cápsulas no planeta SR388, também pertencente à Federação Galática, e são seres artificiais que sugam energia vital”.

            –  Mas o que eles podem fazer? Sugar energia vital de um só é fácil de conter – comenta Roberta.

            – Sim, mas em grande escala, Roberta, isso pode se tornar uma poderosa arma biológica para quem souber manipulá-los e reproduzi-los da melhor forma – afirma Tamires. – Entendem a gravidade do problema?

            – V.B., junto a Mother Brain, querem os Metroids para poder controlar as nações que não queriam fazer parte do universo deles – diz Mario. – Uma nova forma, além do controle mental, é uma arma biológica para intimidar. Agora que Dark Matter foi derrotado, o chefe do controle mental, torna-se necessidade uma estratégia como essa.

            – E por que Mother Brain aceitou isso? – pergunta Sandro.

            – Porque era interessante para eles tomarem o controle do Planeta Federação Galática – diz Tamires. – V.B. não mediu esforços para ajudá-los a dar cabo de todos os caçadores de recompensas, ameaças maiores contra eles.

            – Mas não sabem que nós estamos chegando – diz, Sandro, confiante.

            – Esse é o perigo. Eles sabem sim e somos uma ameaça tão real para eles quanto os caçadores de recompen–

A nave começou a apitar loucamente. Era detectada uma série de naves espaciais que avançavam na direção deles. Justo agora o momento que eles se aproximavam do Planeta Federação Galática.

            – São piratas espaciais – Tamires pede o lugar de copiloto a George. – George, cuide do controle dos tiros da nave. Mario, liga os propulsores para tentarmos fugir da — ahh – um solavanco é sentido na nave.

Era o choque de uma das naves espaciais se aproximando.

Mario liga os propulsores e os soltam para viajar rapidamente, mas…

            – Não está funcionando! – Mario não entendia o que acontecia. Por quê?

            – Tarde demais – lamenta Tamires. – Eles bloquearam o uso. Somos reféns deles.

A nave foi sugada para dentro de uma das naves dos Piratas Espaciais. Nossos escolhidos se tornaram reféns deles.

 

 

Caminhando com as mãos atadas e em fila indiana, os adolescentes se dirigiam a uma das celas da nave dos Piratas Espaciais. Eles eram monstros bem feios e com aspecto bem nojento. Eles também falavam em um idioma incompreensível, próprio daquele planeta.

            – Todos eles são de nível baixo. Nenhum se aparenta aos líderes dos Piratas Espaciais – comenta baixinho Tamires aos outros. Estava no meio da fila.

Chegaram à cela, jogaram os escolhidos para dentro e a fecharam com um apertar de botão. Dessa forma, uma transparente barreira que dava choque impedia que eles fugissem.

            – Nós podíamos ter saído facilmente daqui, Tamires. Por que não deixou que eu lutasse com eles? – dizia, irritado, Sandro.

            – Porque, já que fomos capturados, era necessário entrarmos aqui para descobrir mais sobre o inimigo – responde, de forma ríspida, Tamires. – Até porque não sabemos o paradeiro dos meus poderes de escolhida. Creio que eles possuem acesso a esse tipo de informação.

            – Entendo, mas como vamos sair daqui, primeiramente? – diz George, botando a mão sem querer na barreira de choque e levando um. – Aiii… isso dói!

            – Tome cuidado, seu atrapalhado. Haha. – ri Roberta.

            – Para sair daqui, é muito fácil – diz Tamires. – Basta Sandro sair com o Sheik Teleport, teleportando para fora da cela. Depois…

            – Bater em todos que virmos pela frente? – Sandro faz cara de “diz que sim”.

            – NÃO! – grita Tamires. – Temos que agir sorrateiramente para coletarmos informações.

            – Ahhh – lamenta o escolhido de Link.

            – Continuando… – diz Tamires. – Sandro nocauteia o guarda que cuida de nossa cela. Observei que só tem ele por aqui. Com isso, pega o cartão que abre a cela e estamos livres. Aliás, aposto que o cartão que abre a cela é universal, ou seja, abre qualquer outra porta por aqui.

            – Essa é a nossa gênia – elogia Mario. – Após Sandro nos libertar, cada um de nós vasculha a nave para buscar informações, mas também onde se encontra a nossa nave para fugirmos daqui. O importante é descobrirmos o paradeiro dos poderes de Tamires, de Mother Brain, de nossas armas pegas por eles e da nossa nave. Com isso, conseguiremos salvar o planeta. Se Mother Brain não existir, o controle deles se perde e a Federação Galática consegue dominar o restante dos Piratas Espaciais.Estamos entendidos?

Todos assentiram com a cabeça.

            – Espero que todos tenham colocado o nosso codificador de idioma acoplado em seus ouvidos antes do ataque dos Piratas Espaciais. Será importante para entender os idiomas daqui. E… vamos nessa, Sandro!

Mario chega ao guarda e faz uma distração no idioma dele. Sandro aproveita para teleportar atrás dele e dar um soco carregado de ki bem próximo à nuca que apaga o inimigo instantaneamente. Ele pega o cartão de abertura da cela e passa, abrindo-a para todos.

            – Ótimo, Sandro – diz Mario. – Havia câmeras?

            – Não vi nenhuma – diz Tamires. – Está tranquilo.

            – Vamos nos dividir então e vasculhar a nave. O nosso ponto de encontro será a nossa nave espacial . Descubram esse lugar para saber fugir.

Cada um escolheu um caminho diferente.

Mini-MarioMario acabou caindo em um ambiente de refeitório dos seres. Transformou-se em mini-Mario para poder se apertar em um lugar bem escondido e ficou observado a conversa.

            – Parece que pegaram os escolhidos que iam atrapalhar os planos de Mother Brain – dizia um pirata espacial.

            – Sim, eles estão na cela – dizia outro. – Eles estão nas nossas mãos agora. Sem falar que a armadura especial está guardada pelos nossos grandes chefes em suas regiões em Zebes.

Mario pensa:

            – Eles devem estar falando do poder da Tamires. Então existe uma armadura especial mesmo, construída para a escolhida pelos Chozos. Se está em Zebes, é fácil descobrir.

 

 

Tamires consegue achar a central de controle da nave. Fica observando até que um dos pilotos diz ao outro:

            – Deixei no piloto automático. Está calmo. Vamos descansar um pouco. Tem outras naves fazendo a guarda da nossa agora.

Os pilotos saem do recinto e Tamires passou o cartão, pois ela ficou com ele. A porta se abriu. Ela entrou no recinto.

            – Agora vamos tentar entender esse painel.

A escolhida fuça em todos os componentes e entende bem tudo. Consegue rastrear as coordenadas que eles estavam indo e anota mentalmente, apesar de reconhecê-la bem.

            Chozos– Zebes! – diz Tamires. – Uma das terras dos Chozos. Eles estão indo para lá. Também descobri localizações específicas de Zebes onde se encontram chefões dos Piratas Espaciais. Isto pode ser útil.

A porta se abre.

            – Quem é você? – armas apontadas para Tamires.

            – O que faz aqui?

Tamires levantas as mãos em rendição, mas… Tiros de Samus Wave Beam são mais rápidos e alvejam os inimigos.

            – Parece que nosso sorrateiro termina agora, mas já tenho o mapa dessa nave. Sei como chegar a nossa – corria em direção ao local com o alarme de intrusos soando.

 

 

Roberta vagueia pela nave e descobre onde estão as armas dos escolhidos. Só que tinham guardas ali e a passagem era autorizada por cartão.

            – Preciso chegar até lá, mas o cartão ficou com a Tamires. Se bem que… posso criar um atrativo.

A escolhida viu um vidro que separava a entrada. Então, transformou-se numa versão escolhida misturada com Adeleine e pintou dois metroids de desenho.

            – Agora… vão lá e suguem a energia vital deles.

MetroidOs pequenos metroids ficaram no vidro da passagem pedindo para entrar. Os guardas olham aquilo e ficam assustados.

            – Metroids aqui? Será que fugiram? – fala ao outro pirata espacial.

            – Devem ter fugido sim, mas esses que temos foram domesticados. Pode ficar tranquilo – abre a porta para eles.

Ao abrirem, cada metroid gruda em um pirata espacial e suga a energia deles inteira. Eles ficam apagados no chão.

            – Ótimo, metroidzinhos. Agora vão passear por aí e sugar energia vital de mais piratas espaciais.

Eles voam para longe.

Roberta consegue as armas e observa um quadro naquela sala com um mapa da nave. Descobre onde está e também onde estava a nave deles.

O alarme de intrusos soa.

            – Pelo visto já fomos reconhecidos na nave. É para lá que eu vou – transforma-se em Meta Knight e parte voando com as asas de morcego dele.

 

 

George e Sandro descobrem o paradeiro da nave. Estavam no lugar de partida delas. Ficaram ali por um bom tempo esperando.

            – Está um tédio isso – diz Sandro. – Quando começarão as batalhas?

O alarme de intrusos soa.

            – Acho que agora! – diz George, dando um soco à Donkey Kong na porta e a arrombando.

            – Estou sem armas, mas uso o ki enquanto não as tenho – cria uma espada e escudo de ki, defendendo-se dos tiros deles e os golpeando.

George os arremessava longe, girando como um peão com as mãos estendidas. Ele socava quem passava pela frente rapidamente. Sandro o defendia com o escudo.

Enquanto o escolhido de Link defendia a nave, o escolhido de Donkey Kong preparava a nave para a partida.

            – Vou deixar tudo pronto. Creio que os outros já estão a caminho. Só preciso das coordenadas… – George observa o painel.

            – Aponte para Zebes. É o local onde estão os nossos inimigos principais e meus poderes – diz Tamires, chegando de imediato e montando na nave. Passa as coordenadas ao George.

            – Isso mesmo. Já descobrimos tudo – diz Mario, sentando no copiloto.

            – Com tudo pronto, pode seguir em frente, George – pede Tamires.

            – Olá, pessoal – diz Roberta entrando na nave. – Consegui as armas de volta e também abri a porta para sairmos com a nave por ela.

            – Ótimo! Já estou ligando os propulsores. Vamos decolar logo e bem rápido – avisa George. Preparem os cintos!

Eles chamam o Sandro para dentro da nave. Ele estava segurando as pontas com os inimigos por lá. Foi só o tempo dele entrar na nave e colocar os cintos para que eles decolassem para fora dali à velocidade da luz.

Partiram para Zebes.

 

 

DS estava em Zebes junto a Mother Brain em Tourian, região lar desse grande líder dos Piratas Espaciais.

            – Acabo de receber relatórios de uma das nossas naves – diz Mother Brain. – Os escolhidos fugiram de nossa prisão e se direcionam para cá.

            – Ótimo – general DS pressiona suas mãos como se fosse esmagar o que tivesse nelas. – Estou esperando ansiosamente por eles mesmo.

 

Continua…

Próximo Capítulo: Zebes e os Maiores Piratas Espaciais – O Terremoto do General DS

Fabiano Naspolini de Oliveira

Fabiano Naspolini de Oliveira

Fabiano Naspolini de Oliveira (Editor-Chefe) – Formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Pós-Graduado em Docência para Educação Profissional, MBA em Game Design e Mestrado em Tecnologias da Informação e Comunicação. Foi redator do portal Nintendo Blast, professor de cursos técnicos e Game Designer/Sócio-Fundador do estúdio Céu Games por 6 anos. Atualmente, é professor de jogos digitais e escritor.

Send this to a friend