Gamers: Capítulo 46: Frio em Gorilla Glacier – As espadas brandindo de Kutlass

Em nosso último e emocionante episódio, os escolhidos saem de Vine Valley intactos, após enfrentar Kritter e a Gangue dos Orangotangos. Contaram com a ajuda de Dixie Kong nessa aventura.

Enquanto isso, V.B. manda todos os seus generais para a execução de Diógenes, seu ex-braço direito.

Os escolhidos nem sonham com isso e agora seguem para Gorilla Glacier.

 

Capítulo 46: Frio em Gorilla Glacier – As espadas brandindo de Kutlass

Nas gélidas terras de Gorilla Glacier, nossos escolhidos passavam muito frio e lamentavam a ideia de não terem se preparado para isso. Afinal, eles já sabiam que iam passar por territórios gelados. A neve era intensa naquele lugar e o branco tomava bastante o ambiente, deixando-os até enjoados com aquela persistente cor na paisagem.

Vendo o desespero deles e observando ao longe, Candy Kong, namorada de Donkey Kong, vai até os escolhidos e os entrega casacos bem quentinhos.

            – Senão vocês congelarão por essas terras – recomenda, cautelosa.

            – Obrigado, Candy – agradece Mario.

Os outros seguem o exemplo do escolhido de Super Mario.

A macaca pede licença aos garotos e deixa o recinto, desejando sorte naquelas terras e “- Não se esqueçam… Cuidem-se nas cavernas de cristais de gelo”.

 

 

Após algum tempo de caminhada, enfrentando muitos neckies, avestruzes perversos que vieram perturbar os adolescentes, conseguiram chegar a uma caverna.

            – Que caverna linda – diz, admirada, Roberta.

            – Realmente essa é a caverna de cristais de gelo – constata Tamires. – Pelo mapa… atravessando-a, passando uma parte aquática e outra caverna, já estaremos bem próximos das vilas abandonadas. Assim, logo ficaremos muito perto das Kremkroc Industries.

            – E nessa região não há nada de lindo por lá, não – avisa Sandro. – Cheio de poluição. Aproveitem essa beleza de cristais – tocava em um. – Como pode, né? Tão bonitos.

            – Eu sei que é bonito, mas vamos seguir adiante, pessoal – pede Mario. – E fiquem atentos para perigos. Lembrem-se que os kremlings estão no nosso encalço o tempo todo.

 

 

Kutlass observou a entrada dos escolhidos na caverna. Brandia suas espadas enquanto fazia isso, afinal estava ansioso para enfrentá-los, mas, pensando em King K. Rool, preferiu um método mais fácil de derrotá-los.

            – A bomba já foi colocada naquela caverna – diz Kutlass. – É minha responsabilidade agora impedir os escolhidos de chegarem para salvar o escolhido de Donkey Kong. Mas… caso eles ainda consigam fugir da armadilha, estarei esperando-os nas vilas abandonadas do topo das árvores. Hahahaha.

 

 

Tudo era reluzente dentro da caverna de cristais de gelo. O brilho chamava a atenção e os reflexos dos escolhidos estavam em diversos cantos, conforme eles andavam pelo ambiente.

            – Na parte da entrada já era lindo, mas isso… – Roberta diz com os olhos já estrelados, de tão maravilhada que estava. – É MARAVILHOSO! FOFURA!

            – Calma, Roberta. Vai ter um infarto daqui a pouco – pede Sandro. – Eu não estou sentindo ki algum nesse local. Nenhuma batalha à vista e isso me deixa entristecido e louco por porrada.

            – De fato, já vaguei e me concentrei em diversas bifurcações e passagens e não senti nada. Isso está muito estranho – Tamires fala, muito desconfiada. – Mas, seguindo o mapa, vamos sair daqui rapidinho.

Um tremor é sentido dentro da caverna.

            – O que é isso? – Mario fica temeroso e sente algo. – Não sinto boas vibrações disso, pessoal.

            – Vamos correr. Isso é uma bomba! – avisa Tamires.

Os escolhidos iniciam uma corrida guiada por Tamires, a detentora do mapa, pela caverna.

Os caminhos eram difíceis, mas foram se guiando pelas bifurcações, desviando de cristais de gelo que quase os acertavam, até que conseguiram sair daquela caverna.

Ao olharem para trás e verem os cristais lindos amontoados, ficaram até tristes.

            – Tão lindo… – diz, triste, Roberta.

            – Tentaram nos matar. Isso é fato!

“Vamos seguir adiante” pediu Mario.

E foram o que fizeram. Nada adiantava ficar admirando as ruínas daquela bela caverna.

Passaram pelas áreas aquáticas, além de uma caverna bem escura… Mas chegaram finalmente à vila das árvores.

            – Está bem abandonado isso aqui – constata Sandro, vendo ruínas das casas no topo das árvores.

            – Realmente. Está bem feio – diz Tamires, já sentindo um ki maligno próximo.

Kutlass pula rapidamente para golpear Tamires com suas espadas. Estava escondido em uma das casas abandonadas na árvore.

            – Tamires, cuidado! – grita Mario.

Quando iria reagir, a Master Sword de Sandro impede o golpe do kremling. Ele tomou a frente para proteger a escolhida de Samus. Eles ficaram disputando forças com a espada.

            – Finalmente um desafio para mim – Sandro fulmina o kremling com os olhos, pois estava louco por uma luta.

            – Vejo que o escolhido de Link quer me enfrentar – afasta-se do escolhido.

Tamires tenta preparar sua Power Suit para a batalha, mas Mario a impede, dizendo que Sandro assumiria aquela luta. “Pode ficar tranquila”.

Os dois espadachins ficaram se olhando até que Kutlass partiu para cima do escolhido com golpes seguidos de espada, mas revezando o uso das duas armas que continha.

            – Vai aguentar esse ritmo de golpes, menino? – continuava no ritmo.

            – Só isso que tem para me mostrar? – defendia-se dos golpes sem fazer nenhuma investida contra o inimigo.

Sandro pensava “ Vou cansá-lo um pouco e me defender das investidas dele. Depois, faço a minha ofensiva”.

Quando o escolhido percebeu o cansaço dele, afastou-se de Kutlass e pulou para uma investida de cima.

            – Vamos ver se aguenta essa… Link… – carrega de ki a espada – Master Sword Impact!

Kutlass cruza as espadas para se defender do ataque. Ele sentia a força do ataque de Sandro e rangia os dentes ao aguentar aquela investida. Mas as espadas deles não corresponderam a sua vontade. Trincaram e Sandro acertou um golpe de espada no seu inimigo.

            – Lamento pelo arranhão, Kutlass. Isso não te matará, mas causará dano suficiente para não nos encher o saco.

O kremling cai ao chão derrotado, enquanto Sandro guarda a espada em sua bolsa.

            – Acho que esse precisa ser levado junto aos outros. Muito bem, escolhido – diz Wrinkly Kong.

Todos ficam assustados com a aparição dela, pois era um fantasma. Ela era a ex-mulher de Cranky Kong, avó de Donkey Kong. Ela pede calma e diz:

            – Já faleci sim, mas ajudo a família e acompanho a jornada de vocês. Tenho sido a informante dos Kongs para lhes ajudar nessa jornada.

            – Entendo – acalma-se Mario. – Os Kremlings estão sendo presos e você avisa-os para isso e nos ajuda também.

            – Por isso aparecia Dixie, Candy e outros… Faz sentido agora – analisa Tamires. – Sempre achei estranho mesmo estarem na hora certa.

            – Continuem a jornada de vocês, escolhidos. São nossa esperança para Kongo Jungle. Deixe esse kremling por nossa conta.

Os escolhidos confiaram naquela senhora fantasma e partiram dali para continuar jornada.

 

 

Após muita caminhada, avistaram bem próximo um ambiente industrial.

            – Vejo que estamos chegando a Kremkroc Industries. Logo vamos salvar Sandro! – diz, feliz, Mario.

            – Sim. Não vejo a hora de revê-lo – desabafa Roberta.

            – Meu parceiro de lutas – diz Sandro.

            – Isso mesmo, pessoal – diz Tamires. – Já chegamos até aqui e nada nos abaterá.

Olharam uns aos outros confiantes e continuaram a caminhada. Afinal, era a última região até chegar a Gangplank Galleon, a prisão de George junto a seus inimigos crocodilos.

 

 

King K. Rool recebe um comunicado de um dos seus kremlings serviçais.

            – Senhor, mais um de nossos chefes foi abatido pelos escolhidos. Eles estão próximos a Kremkroc Industries.

            – Como são persistentes – lamenta o kremling chefe. – Kalypso…

            – Sim, meu mestre – chega a kremling fazendo reverência ao rei.

            – Hora de você mostrar seus dotes femininos. Acabe com esses moleques irritantes e use o mecha das nossas indústrias.

Um robô controlado por alguém? Sim. E a controladora já sabemos quem será.

 

Continua…

Próximo Capítulo: A Poluição das Kremkroc Industries – Kalypso e o Mecha Kremling

Fabiano Naspolini de Oliveira

Fabiano Naspolini de Oliveira (Editor-Chefe) – Formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Pós-Graduado em Docência para Educação Profissional, MBA em Game Design e Mestrado em Tecnologias da Informação e Comunicação. Foi redator do portal Nintendo Blast, professor de cursos técnicos e Game Designer/Sócio-Fundador do estúdio Céu Games por 6 anos. Atualmente, é professor de jogos digitais e escritor.