Leitura do Desenvolvedor de Jogos: Arte é chata? E a arte dos games?

Em nossa nova coluna com leituras de trechos de livros de desenvolvedores de jogos, trago uma discussão sobre arte e games do livro “Arte dos Games” de Nei Pellizon. Discutimos um pensamento sobre jogo e arte, se é chato e o que é isso, como um jogo é mais arte que outro etc.

Livro: Pellizon, Nei “Azdak”. Arte dos games: 81 razões para jogar sem culpa. Florianópolis: Pandion, 2014. Trechos retirados da página 84 até 86.

Leitura do Desenvolvedor de Jogos: Arte é chata? E a arte dos games?

 

Link: https://www.youtube.com/watch?v=5TM63jJ0e9o

Fabiano Naspolini de Oliveira

Meu nome é Fabiano Naspolini de Oliveira e atuo na área de jogos desde 2006, quando comecei estes estudos na faculdade. Sou de Araranguá – Santa Catarina. Sou formado em Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Especialista em Game Design e Docência para Educação Profissional, Mestre em Tecnologias da Informação e Comunicação e Pós-graduado em Gestão Estratégica de Marketing. Já tenho mais de 15 jogos no meu portfólio, tanto educativos, advergames quanto de entretenimento, feitos para jogadores e empresas. Toda essa experiência veio dos meus estudos, experimentos sozinho e, no passado, tive um estúdio de jogos chamado “Céu Games”. Atendi clientes com jogos customizados de acordo com a necessidade deles e ganhamos o Prêmio Mobile Fest de Aplicativos Móveis da Claro em Primeiro Lugar com o game Sperm Race. Também trabalhei como redator do site Nintendo Blast, cuja experiência me ajudou a analisar jogos dos mais diversos do mercado. Publiquei em 2021 meu primeiro jogo no Steam: o Born Race. Hoje sou game designer, professor, escritor de ficção e cuido do site Fábrica de Jogos, portal sobre desenvolvimento de jogos com canal no Youtube voltado a game designers. Meu foco está na educação dos desenvolvedores de jogos e, principalmente, game designers iniciantes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.