Mercado de Games: Fortalecimento da Indústria de Games

JogosPara quem acompanhou as notícias, saiu no Olhar Digital uma nota sobre um estudo realizado pelo BNDES sobre o mercado de games.

O documento é muito interessante e é importante tomar conhecimento, por isso comentamos um pouco aqui no Fábrica de Jogos.

Saiba um pouco mais.

O estudo demonstra um diagnóstico de como está a indústria de jogos, justifica a importância e faz um resumo de 10 ideias para desenvolvê-la, conforme notícia aqui mencionada.

Vejam algumas delas:

1 – Criar prêmios e concursos de jogos digitais originais;

2 – Subsidiar o desenvolvimento de demos, provas de conceito e protótipos de produtos para empresas novas;

3 – Instituir um programa de avaliação por especialistas sobre a viabilidade comercial desses projetos;

4-  Apoiar e financiar o desenvolvimento de protótipos originais até o ponto de comercialização;

5 – Criar programas para atrair e reter empresas líderes mundiais do setor;

6 – Abrir espaço nos programas de apoio a incubadoras, aceleradoras e parques tecnológicos especificamente para jogos digitais;

7 – Estimular o crowdfounding para empresas em consolidação, oferecendo subsídios com exigência de contrapartida;

8 – Realizar eventos de matchmaking, aproximando desenvolvedores de seus possíveis investidores;

9 – Disponibilizar empréstimos para contratação de consultorias de suporte, como marketing e utilização de big data;

10 – Criar um Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Jogos Digitais (INCT) para unir universidades do Brasil e de todo o mundo, interessadas no tema.

Na minha opinião, esse estudo só demonstrou o óbvio: está utilizando fórmulas do passado que não deram tão certo assim e as soluções resumem-se a programas que já existem para qualquer área, mas botaram a palavra game em cada um dos tópicos.

Basta lembrar de Br Games e outros programas que acabaram indo pro espaço. Já houveram tentativas de vários desses itens. No caso de atrair empresas líderes de fora, se não for para serem parceiras das nossas desenvolvedoras, vão tomar nosso país e coitado do game developer daqui.  Já para programas em incubadoras, os games sempre tiveram espaço, não tem necessidade de fazer isso. E o Crowdfunding já está sendo utilizando, independente de órgãos públicos e bancos.

O que a indústria realmente precisa é de ações. Muito tempo gasto para concluir o óbvio. Isso mostra como o Brasil ainda não entende essa indústria e precisa melhorar muito nisso.

Para acessar a matéria completa e documento:

Fonte: Olhar Digital – 10 ideias para fortalecer a indústria brasileira de games

Documento: Propostas Públicas aos Jogos Digitais Brasileiros

 

Deixe sua opinião sobre o tema também, mesmo que concorde ou pense diferente.

Fabiano Naspolini de Oliveira

Fabiano Naspolini de Oliveira

Fabiano Naspolini de Oliveira (Editor-Chefe) – Formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Pós-Graduado em Docência para Educação Profissional, MBA em Game Design e Mestrado em Tecnologias da Informação e Comunicação. Foi redator do portal Nintendo Blast, professor de cursos técnicos e Game Designer/Sócio-Fundador do estúdio Céu Games por 6 anos. Atualmente, é professor de jogos digitais e escritor.

Send this to a friend