Referências de Livros Técnicos: Games em Educação

games_educacaoSeguimos com mais uma dica de bons livros voltados para a área de jogos digitais.

Nesta postagem, vou indicar o “Games em Educação – Como os nativos Digitais aprendem”.

Vamos conhecer um pouco sobre ele.

O livro Games em Educação foi escrito por João Mattar e consiste em um guia para aqueles profissionais que querem desenvolver jogos para aplicar na aprendizagem. Também tem foco em games de entretenimento já prontos que podem ser aplicados na educação.

Ele é dividido em duas partes e o apêndice:

  • Parte 1 – Conceitos e Teorias: Nessa etapa, ele explora bem o estilo de como os nativos digitais aprendem, teoria das inteligências múltiplas e estilos de aprendizagem. Também aborda o uso de games na educação como os tipos de games, aprendizado baseado em jogos digitais (princípios e como funciona) e como pensar no design instrucional com essa nova tecnologia;
  • Parte 2 – Games na Prática: aqui foca mais em como desenvolver esses games, tanto nas diretrizes necessárias quanto ferramentas. Ele demonstra também alguns cases de sucesso no exterior, mostra o cenário no Brasil como está na área de jogos digitais em termos de governo, instituições de ensino, eventos e outros;
  • Apêndice: pega dois casos que são o jogo do Yu-gi-oh e o Second Life aplicados à educação. Demonstra as possibilidades de trabalhá-los no ensino-aprendizagem.

Veja mais nessa apresentação do próprio autor sobre o tema do livro:

Eu gosto das etapas do livro referentes a parte um. Para quem nunca trabalhou com jogos educacionais, essa parte deve ser lida com afinco. A parte 2, para mim que já atuo no setor de games, não teve tanta novidade, mas vejo que o livro é focado em um público que nunca viu nada sobre esse segmento. Então entendo a importância de fazer parte da publicação.

Sobre o apêndice, é muito interessante o estudo de possibilidades no jogo do Yu-gi-Oh. Recomendadíssimo. Já a parte do Second Life, totalmente dispensável na minha opinião. Eu não sei o porquê dos educadores insistirem tanto com essa plataforma. Os jogos multiplayer massivos já trabalham com universos muito mais poderosos, autossuficientes, colaborativos ao extremo e com moeda própria inclusive. Basta pegar um World of Warcraft. O Second Life é muito abaixo disso, cheio de bugs e já vi coisas lá que estão longe de serem educadoras como avatares correndo pelados por tudo. Só para citar uma, pois tenho várias. Existem outras possibilidades melhores que essa.


games_educacaoResumo

Nome: Games em Educação – Como os nativos digitais aprendem

Autor: João Mattar

Tamanho: 186 páginas

Ano: 2010

Editora: Pearson Prentice Hall

Análise final: O livro é recomendado para aqueles que querem desenvolver jogos educacionais, principalmente os didáticos. Também para profissionais que querem aplicar games em sala de aula, mas sabem pouco sobre esse segmento específico dos jogos digitais.

Eu como sou um entusiasta dessa área e pretendo seguir com estudos nessa linha, recomendo fortemente a leitura. Até porque o autor conhece muito da área e a leitura dele foi bem prazerosa para um livro técnico. Gosto também bastante quando ele põe em cheque esse método de ensino tradicional. Faz refletir muito sobre nossas práticas em sala de aula.

Fabiano Naspolini de Oliveira

Fabiano Naspolini de Oliveira (Editor-Chefe) – Formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Pós-Graduado em Docência para Educação Profissional, MBA em Game Design e Mestrado em Tecnologias da Informação e Comunicação. Foi redator do portal Nintendo Blast, professor de cursos técnicos e Game Designer/Sócio-Fundador do estúdio Céu Games por 6 anos. Atualmente, é professor de jogos digitais e escritor.